Contents - Index


Como lançar, de forma correta, a depreciação de máquinas, equipamentos e benfeitorias


A perda de valor do capital investido, ou seja, a depreciação, é importante para calcular o custo total da atividade. Com o objetivo de auxiliar o usuário do Ideagri a lançar corretamente as depreciações de máquinas, equipamentos e benfeitorias, trazemos informações sobre os métodos de depreciação e vida útil de alguns patrimônios. 

Depreciação

Depreciação é um procedimento contábil que visa acumular recursos para repor bens de capital ao final de sua vida útil. Do ponto de vista econômico, a depreciação se aplica àqueles bens que participam do processo produtivo em mais de um ciclo de produção. Esta condição diferencia o bem depreciável do insumo, que, em geral, é integralmente utilizado em apenas um ciclo de produção. A depreciação é, portanto, um custo não monetário decorrente da perda de valor por idade, uso ou obsolescência.

Os aspectos a serem considerados no cálculo da depreciação são:
    Vida útil dos ativos.
    Método de depreciação.
    Base de cálculo da depreciação.

Vida útil do ativo

É preciso determinar o prazo em que deve ser feita a depreciação. A vida útil pode ser definida como o período de tempo no qual o objeto depreciável é utilizado na atividade.

Métodos de depreciação

O método de depreciação linear é mais utilizado para depreciação de benfeitorias. Já o método de depreciação por soma de dígitos ou valores decrescentes é mais utilizado para depreciação de máquinas.
 
  • Linear
     
    O método linear consiste na aplicação de taxas constantes durante o tempo de vida útil estimado para o bem, e é o mais freqüentemente utilizado.
     
    Exemplo: Em janeiro foi adquirido um bem com vida útil estimada de 5 anos pelo valor de R$ 30.000,00, sem valor residual estimado. Qual será o valor da depreciação?
     
    Valor da depreciação = Valor do bem ÷ Vida útil
    Valor da depreciação = R$ 30.000 ÷ 5 anos
    Valor da depreciação = R$ 6.000,00/ano
     
    Para calcularmos o valor da depreciação mensal, para efeito de apuração de resultados mensais, basta dividir o valor da depreciação anual por 12:
     
    Valor mensal da depreciação = R$ 6.000,00 ÷  12 meses
    Valor mensal da depreciação = R$ 500,00/mês
     
    Se for considerarmos um valor residual de R$ 3.000,00 o valor anual da depreciação será: (R$ 30.000,00 - R$ 3.000,00) ÷ 5 anos = R$ 5.400,00 por ano.
     
    Para calcular o valor da depreciação mensal, basta dividir R$ 5.400,00 por 12 meses.
    R$ 5.400,00 ÷ 12 meses = R$ 450,00
  • Soma de dígitos
     
    Por este método teremos uma fração cujo denominador é formado pela soma do número de anos de vida útil do bem e o numerador é composto dos anos sucessivos.
     
    Exemplo: Um bem tem prazo de vida útil de 5 anos e custo de R$ 30.000,00. Calcular o valor da depreciação anual.
     
    Inicialmente somamos os algarismos que compõem o número de anos: 1 + 2 + 3 + 4 + 5 = 15.
    Assim, a depreciação é calculada como se segue:
    Ano 1: 5/15 X 30.000 = 10.000
    Ano 2: 4/15 X 30.000 = 8.000
    Ano 3: 3/15 X 30.000 = 6.000
    Ano 4: 2/15 X 30.000 = 4.000
    Ano 5: 1/15 X 30.000 = 2.000
     
    Neste método, o valor mensal da depreciação:
    No primeiro ano, seria de R$ 10.000,00 ÷ 12 = R$ 833,33.
    No segundo ano, seria de R$ 8.000,00 ÷ 12 = R$ 666,67.
    No terceiro ano, seria de R$ 6.000,00 ÷ 12 = R$ 500,00.
    No quarto ano, seria de R$ 4.000,00 ÷ 12 = R$ 333,33.
    No quinto ano, seria de R$ 2.000,00 ÷ 12 = R$ 166,67.
     
    Observe que, por este método, a depreciação pode ser crescente ou decrescente. No exemplo dado, o método é dos dígitos crescentes. Assim, se o problema pedisse o valor da conta Depreciação Acumulada no segundo ano, a resposta seria 18.000,00.
     
  • Valores decrescentes
     
    Se enquadram neste método todos os bens envolvidos na atividade em que a depreciação no início na vida útil é maior.
     
    O uso deste método estimula a renovação de máquinas e equipamentos, além de acompanhar de forma mais realista a redução do valor de mercado da maioria dos bens.



    Onde n é o número estimado de anos da vida útil do bem.
    Exemplo: Um bem tem prazo de vida útil de 5 anos, custo de R$ 30.000,00 e valor residual de R$ 1.500,00.


     
    Qual a porcentagem de depreciação anual e mensal?

    Quota do 1º Ano = 45,072% x 30.000 = $ 13.521,60
    Quota do 2º Ano = 45,072% x 16.478,40 = $ 7.427.15
    Quota do 3º Ano = 45,072% x 9.051,25 = $ 4.079,58
    Quota do 4º Ano = 45,072% x 4.971,67 = $ 2.240,83
    Quota do 5º Ano = 45,072% x 2.730,84 = $ 1.230,84
    Total = $ 28.500,00
     
    Neste caso, a depreciação mensal seria de:
     
    No primeiro ano = R$ 13.521,60 ÷ 12 = R$ 1.126,80
    No segundo ano = R$ 7.427,15 ÷ 12 = R$ 618,93
    No terceiro ano = R$ 4.079,58 ÷ 12 = R$ 339,97
    No quarto ano = R$ 2.240,83 ÷ 12 = R$ 186,74
    No quinto ano = R$ 1.230,84 ÷ 12 = R$ 102,57

    O inconveniente deste método é a necessidade de um valor residual para proceder ao cálculo da depreciação.

    Base de cálculo da depreciação

    A base de cálculo determina qual o valor a ser considerado para o cálculo da depreciação.

    Vida útil de alguns equipamentos agrícolas

    Tabelas: Vida útil e valor residual de máquinas, implementos e benfeitorias



    FONTE: CONAB - Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento





    FONTE: EMBRAPA



    Referências bibliográficas
    Disponível em: http://www.conab.gov.br/conabweb/download/safra/custosproducaometodologia.pdf. Metodologia de cálculo de custo de produção da CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Acessado em 1 de Novembro de 2010.

    PACHECO, E.P. Seleção e custo operacional de máquinas agrícolas. Rio Branco: Embrapa Acre, 2000. 21p. nº58. Disponível em: http://www.cpafac.embrapa.br/pdf/doc58.pdf. Acessado em: 1 de novembro de 2010.